American way of thinking

American way of thinking

O Arco e Flecha mundial vem sendo dominado pelos Estados Unidos nos últimos anos tanto no Arco Composto e, agora, também no Arco Recurvo com os impressionantes resultados do norte-americano Brady Ellison.

Por que isso ocorre?

Acredito que por uma série de fatores não “abençoados”, mas fruto de planejamento, trabalho e profissionalismo. Meu amigo Renato Emílio tem a célebre frase de que “ninguém leva para a prova o que não traz de casa”. E dentro de casa os americanos cumprem seu dever.

A série de fatores que levam a isso pode ser resumido em:

  • O jeito americano de pensar. A competitividade é uma palavra forte no dicionário americano. Você nasce para ser winner (vencedor) e não loser (perdedor). Competir é sim importante, mas ganhar é muito mais. A busca pela vitória é um combustível muito forte, que fomenta o aumento do nível técnico. O comportamento de um americano na linha de tiro é respeitoso, mas agressivo. Eles, muitas vezes, vencem a prova antes mesmo dela começar. Simplesmente porque acreditam fortemente que serão vencedores.

  • Provas com premiação em dinheiro. As provas americanas estaduais e nacionais tem inscrições com um valor médio de US$ 200,00 (R$ 370,00). Boa parte disso é convertido em prêmios para os atletas vencedores e outra parte usada para se fazer provas decentes com toda infra-estrutura que um evento esportivo requer e não provas sem banheiro, arqueiros montando campos, carregando alvos, etc.

  • Os principais fabricantes de equipamentos são norte-americanos, isso gera uma grande competitividade entre marcas que se convertem em PATROCÍNIOS e também em fácil acesso a equipamentos.

  • Nenhuma dependência de dinheiro público. Esporte fomentado pela iniciativa privada.

  • Esporte baseado em universidades e não em clubes. O sistema de clubes é falido por si só. O modelo universitário gera alta competitivade e garante um futuro promissor ao atleta, seja pelo esporte ou pelo seu desenvolvimento vinculado aos seus estudos. Coincidência ou não, Gustavo Borges e César Cielo – medalhistas olímpicos brasileiro de natação – fizeram toda sua formação nos EUA.

  • Renovação de atletas – no composto, assim como no Recurvo na Coreia do Sul, tem sempre vários atletas de alto nível que nem chegam a disputar competições no exterior pelo alto nível das seletivas. nacionais Na Arizona Cup 2012, um americano ficou na 12a posição entre os americanos (19a posição geral) com média 342 a 50 metros. Na seletiva brasileira para o Campeonato das Américas, o 12o colocado tem média 292 pontos. E sempre tem alguém com o brilhante comentário – Ah, mas você está comparando o Brasil aos Estados Unidos... mas tem que comparar é com quem é bom mesmo, ou vamos ficar disfarçando e fazendo comparações menores... Detalhe importante sobre trabalho de longo prazo: a Venezuela acaba de ser medalha de bronze por equipes (composto masculino) na Etapa da Copa do Mundo da China 2012 e o mexicano Julio Fierro foi vice-campeão. Essa mesma Venezuela, há 1 ano e meio atrás, Tico, Alexandre César e eu, vencemos no Campeonato das Américas 2010 batendo o recorde do campeonato sobre eles.

  • Parte da nossa incompetência passa pela nossa passível aceitação de coisas ruins. A conta precisa ser paga por alguém. Por que não pagamos inscrições mais caras para ter melhor qualidade? E cobremos também essa qualidade. Enquanto inscrição de competição estadual for R$ 30,00 – R$ 40,00 não poderemos cobrar, pois sempre terão a desculpa de que o valor arrecadado não é suficiente. E no Brasileiro custar R$ 170,00 também é muito pouco. Com pouco dinheiro se faz competição de baixo nível. E nós arqueiros que temos que parar de reclamar e fazer mais.

  • Que marca deseja patrocinar competições feitas em campos que não tem estrutura nenhuma, imprensa, etc.?

  • Forte apelo midiático – Brady Ellison já é reconhecido nos EUA, por sua grande exposição e vinculação a campanhas como o combate ao Câncer de Mama, todo mundo critica o Arco Rosa que ele usa, mas todos sabem o porque e comentam. Isso gera retorno para o atleta.

  • O Twitter e as redes sociais vem sendo usados fortemente pela USA Archery. Por aqui estamos, ainda, mal usando e-mails...

  • No último Campeonato Mundial em Turim – Itália, cheguei à 3a fase e disputei o combate contra o norte-americano Reo Wilde (recorde mundial naquela qualificatória – 714 pontos no Duplo 50 metros). Entrando para a linha de tiro, ele falou com seu técnico – Roubaram minha mochila com carteira, passaporte. O que faço? Seu técnico brilhantemente respondeu – Go shooting! (Vá atirar!) Simples assim! E completou dizendo, você saiu da sua casa só para fazer isso. Ele ganhou. Eu fiquei nervoso e não rendi meu melhor. Ele não desestabilizou! Este mesmo Reo Wilde conta que há 7 anos largou seu trabalho para se dedicar exclusivamente ao Arco e Flecha, pois os patrocínios assim permitiram. Desde então recheou bastante sua coleção de títulos, coincidência?

  • Para não ficar só no composto, o grande exemplo norte-americano é o recurvo Brady Ellison. Em 2006, ele veio ao Brasil para o Campeonato das Américas e teve resultados pífios. Muitos brasileiros àquela época o venceram. Mas o trabalho de longo prazo gera resultados. Brady é hoje o principal nome do recurvo mundial, alguns números dessa incrível carreira: - Em 2011, ele venceu 34 dos 36 combates disputados em eventos de nível mundial.

- Atingiu a incrível marca média de 28,02 pontos por série de combate há 70 metros (30 pontos possíveis) em 142 séries de combates disputadas.

- Venceu todas as etapas da Copa do Mundo e a Grande Final.

- Foi medalha de bronze no Campeonato Mundial, perdendo na semifinal na Flecha de Morte, mas fez um 10.

- Aliás, sobre Flechas de Morte em 2011, em 5 desses 36 combates a disputa foi para a Flecha de Morte. Nas 5 vezes ele disparou um “10”.

- Americanos comemoram efusivamente suas vitórias. A comemoração faz parte do show. Um Esporte-Show capaz de atrair público necessita ter emoção e gerar emoções. Campeões que mal sorriem não elevam a imagem do esporte. Socar o ar, gritar, rir, chorar, faz parte do espetáculo e as pessoas gostam. E sempre tem alguns que acham que isso é desrespeito ao adversário...

Desejar e admirar o que é bom é o primeiro passo para se tornar tão bom quanto.

“Ande com os bons será um deles, ande com os ruins será pior do que eles”.

Featured Posts
Recent Posts
Archive
Search By Tags
No tags yet.
Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square